Mensagem para o novo ano

no dia 10 de janeiro de 2012

Imagem

Já viram como de uns anos para cá surgem no mercado livros e manuais sobre como ser feliz? Será que desaprendemos a fazer isso por nós mesmos e agora temos que ter quem nos ensine o poder da simplicidade e os botões on/off da euforia, tristeza, entusiasmo e outros sentimentos?

Eu desconfio da literatura de autoajuda que promete milagres, mas filtrando os exageros a gente consegue aprender muito e obter bons resultados na prática. 


Hoje na fila do banco (programa de pobre,rs) estava relendo partes do livro Feliz por Nada, da Martha Medeiros (que nem é oficialmente classificado como autoajuda) e descobri meu texto de ano novo para vocês nessa releitura. 

Vale muuuito a pena prestar atenção nesse texto nos mínimos detalhes, imprimir e colar na porta do armário para ler todos os dias. Se conseguirmos seguir pelo menos vinte por cento das regras conseguiremos mais leveza e felicidade. Ihh, já estou aqui dando conselhos...rs

Leiam e me contem depois o que acharam.

Imagem Google




Na terra do se - Martha Medeiros

Se quem luta por um mundo melhor soubesse que toda revolução começa por revolucionar antes a si próprio.


Se aqueles que vivem intoxicando sua família e seus amigos com reclamações fechassem um pouco a boca e abrissem suas cabeças, reconhecendo que são responsáveis por tudo o que lhes acontece.


Se as diferenças fossem aceitas naturalmente e só nos defendêssemos contra quem nos faz mal.

Se todas as religiões fossem fiéis a seus preceitos, enaltecendo apenas o amor e a paz, sem se envolver com as escolhas particulares de seus devotos.

Se a gente percebesse que tudo o que é feito em nome do amor (e isso não inclui o ciúme e a posse) tem 100% de chance de gerar boas reações e resultados positivos.

Se as pessoas fossem seguras o suficiente para tolerar opiniões contrárias às suas sem precisar agredir e despejar sua raiva.

Se fôssemos mais divertidos para nos vestir e mobiliar nossa casa, e menos reféns de convencionalismos.

Se não tivéssemos tanto medo da solidão e não fizéssemos tanta besteira para evitá-la.

Se todos lessem bons livros.

Se as pessoas soubessem que quase sempre vale mais a pena gastar dinheiro com coisas que não vão para dentro dos armários, como viagens, filmes e festas para celebrar a vida.

Se valorizássemos o cachorro-quente tanto quanto o caviar.

Se mudássemos o foco e concluíssemos que infelicidade não existe, o que existe são apenas momentos infelizes.

Se percebêssemos a diferença entre ter uma vida sensacional e uma vida sensacionalista.

Se acreditássemos que uma pessoa é sempre mais valiosa do que uma instituição: é a instituição que deve servir a ela, e não o contrário.

Se quem não tem bom humor reconhecesse sua falta e fizesse dessa busca a mais importante da sua vida.

Se as pessoas não se manifestassem agressivamente contra tudo só para tentar provar que são inteligentes.

Se em vez de lutar para não envelhecer, lutássemos para não emburrecer.

Se.

...

Ah, quer ver uma mensagem suuuper bonitinha e apaixonante que pode ser de ano novo todo ano e todo dia? Vá até o blog da Rejane, bem aqui. Eu juro que você nunca mais vai abandonar o blog Casa, Corpo e Cia. Cada clique é uma overdose de fofura e delicadeza.

Grande beijo e boa semana para nós.

13 comentários:

  1. Que post lindo, esse texto é realmente bom, já salveio no computador para poder ler sempre e não me esquecer de nada...

    Hoje fiz um post, com o mesmo assunto do seu e a Rejane é uma fofa mesmo...

    Bjinhosss

    ResponderExcluir
  2. Clau, adorei!!! Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Depois de TREM BALA, este Feliz por nada é o melhor libro da Martha Medeiros

    beijooo

    ResponderExcluir
  4. Oi, Claudiene (posso te chamar assim, né) não acostumo muito com Clau. Mas li esse livro e adorei, um dos textos que também gostei muito foi dos barulhos. Lembro principalmente da parte que ela fala do barulho da fechadura da porta quando os filhos chegam da rua, acho que é porque estou nessa fase. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Férias? que bom. Mas cuidado com sua dieta.
    Tb não leu NADA de auto ajuda. Acho literatura inútil.

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post. O texto também é muito bom. Se... a gente fizesse mesmo tudo isto!!! Bjks e Feliz 2012. Bom regresso.

    ResponderExcluir
  7. Olá, queria
    Eu também estou assim: feliz por nada...
    A vida por si só já nos inspira esse sentimento...
    Bjm de paz e alegria

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda não tenho nenhum livro de Martha Medeiros mas adoro quando vcs postam textos dela pela internet. Vou acabar comprando um porque tais mensagens são pra vida toda né?
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Tu acreditas que nunca li nada da Martha Medeiros? Livros, pois texto a Fernanda já colocou alguns e li. Mas esse é genial mesmo. Temos que fazer isso mesmo e tentar sermos mais felizes.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  10. oi Clau, lindo o texto,obrigada,bjos.

    ResponderExcluir
  11. Clau, que lindo o texto da Martha!
    Eu nunca li nenhum livro, o que leio dela, é o que publicam nos blogs, e sempre gosto! A Fernanda Reali está sempre falando dela.

    Ah que fofa! Amei o rodapé com o link lá para o meu post e você falando de mim tão bem... Obrigada!

    Obrigada também por aquela "dica", já comecei a dar uma limpeza e uma fuçada lá para ver no que pode melhorar.
    Amanhã tem mosaico, viu?

    Beijos e bom fim de semana ♥

    ResponderExcluir
  12. Oieee

    Te achei no Moisaco da Re..
    Tbm estou por lá..
    Estou te seguindo tá?

    Me visite tbm. Vou Adorar!!
    http://lidiepaulo.blogspot.com/

    Beijinhos

    Ótima Sexta-feira!

    ResponderExcluir
  13. Que texto maravilhoso!...
    Fiquei encantada com seu pote de sorvete reciclado, ví lá no blog da Re. Eu também já reciclei vários (amo!)
    bjossss

    ResponderExcluir

Use esse espaço para dizer o que pensa. Gentileza é sempre bem vinda.



Últimos tweets