Adoção - O inferno são os outros

no dia 4 de julho de 2011

Imagem
Quanto encontramos uma mulher grávida, seja ela uma parente próxima ou uma completa desconhecida, logo somos tomados por um sentimento de ternura e simpatia pela barriga que prepara uma vida e nossas palavras são sempre doces e desejosas de saúde e um bom futuro para aquela mãe e seu bebezinho.  

Ninguém em sã consciência se põe a destilar maus presságios. Ninguém diz: “olha, você pode ter uma parada cardíaca e morrer no parto” ou “seu filho poderá no futuro ser um marginal, um usuário de drogas, uma pessoa de má índole, um ladrão”. Não, ninguém diz essas coisas porque ninguém pensa essas coisas quando vê uma mulher gestante.  

Agora experimente dizer que vai adotar uma criança... ihhh... aí começa o desfile de previsões apocalípticas, que vão desde “olha, já vi muito filho adotado matar os pais pra roubar” (ah, tá, só adotivos fazem isso, né?) até “olha, essa criança poderá se revoltar por ter sido abandonada e te dar problemas”.

Impressionante como ainda há pessimistas com relação a adoção. Será que estas pessoas não podem pensar que a criança adotada poderá ser um ser estudioso, amoroso, bom caráter, mas que poderá também não ser perfeito, como qualquer filho, da barriga ou não?

Mas o pior “conselho”  a dar a quem pretende adotar, na minha opinião é esse: “por que você não arruma um filho seu?” ou então “temos que respeitar a vontade de Deus, se não se tem filhos naturais, melhor não inventar de criar filhos dos outros”. Não me canso de ficar espantada com a capacidade das pessoas simplesmente entrarem de mansinho na vida alheia para dar seus “bondosos palpites”, sabe aquela mansidão que se a gente apronta um barraco com certeza será chamada de louca imcompreensiva? 

Tão incrível quanto é a facilidade que alguns tem de se acharem porta vozes de Deus na terra, achando, desta forma que estão fazendo um grande favor à humanidade ao compartilhar suas preciosas visões de mundo. 

Felizmente essas pérolas vem de uma minoria. Acho que a cultura com relação a adoção tem mudado e as coisas estão sendo vistas de maneira menos preconceituosa. A maioria das pessoas que converso são simpáticas ou então se mantem neutras. Mas muito ainda tem que mudar.

Finalizando, os pessimistas de plantão se posicionam sempre com negativismo, seja no tema família, política, economia, etc. Portanto não tente levar um diálogo adiante tentando convencer seu interlocutor das suas idéias,  aprenda a se proteger, você tem um grande objetivo pelo qual lutar. Não desperdice energias.

E ponto.

Quer conhecer uma linda história de adoção formada por uma mãe e três crianças? Clica aqui, no blog da Glau e leia sobre adoção tardia. 

Tem dúvidas como iniciar um processo? Eu escrevi algumas dicas aqui.

18 comentários:

  1. Bem, eu já vi cada comentário horroroso pra pessoas grávidas, que vou te contar. Mas não dá pra negar que com adoção é muito pior mesmo. As pessoas, infelizmente, ainda são muito preconceituosas, por mais que tentem dar uma de moderninhas. O ideal é começar a treinar algo que vc terá que fazer muitas vezes depois que for mãe: usar filtros nos ouvidos, se fazer de surda, se fazer de doida. Entra por um lado, bate e volta, nem entra e sai do outro não...rs

    Boa sorte!!

    ResponderExcluir
  2. concordo 100% com seu post!
    parabéns, mto bem escrito e deu pra entender cada palavra!!!

    como eu li certa vez e acredito nisso:

    filho não é DE mim, é PRA mim... algo assim...
    e filho pode ser PRA gente vindo da barriga ou do coração, a questão é saber amar, educar, se dedicar...

    pois há mulheres q são apenas 'parideiras' e nunca 'maes', tem uma grande diferença nisso, mas ngm entende!

    tenho primos adotados, amigas q adotaram e tem hr q nem lembro disso, tamanha convivencia, amor, amizade... e é isso q importa!

    bjão
    da Li

    ResponderExcluir
  3. AI, Clau, como as pessoas podem ser tão pessimistas, não é? Acho q tudo depende de como a criança será criada! Nada tem a ver com revolta ou índole, acho. E eu desejo mta sorte pras mamães q adotam!!!!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Minha gravidez foi inesperada e indesejada,mas amo minha filha incondicionalmente! Imagino esse amor multiplicado por dois no coração de alguém que decide adotar.Não o faz por obrigação,o faz unicamente por amor,por ter muito carinho pra dividir. E quanto ao comportamento,índole,é feita uma adaptação,um acompanhamento.No momento que se opta por uma criança ou adolescente,sabe-se que eles terão vontades e teimosias.Essa convivência é igual,em qualquer família.
    Beijos!!A semana recém começou e quero estar tinindo!Sê alegre todo dia =D "Vamo acordar,vamo acordar,tem gente furando a fila e sendo feliz no nosso lugar!!" C.Abreu

    ResponderExcluir
  5. Adoção é maternidade pensada e repensada, mais um jeito de ser mãe, nem melhor nem pior do que a maternidade biológica.
    Lindo post eu ameiiiii!

    ResponderExcluir
  6. Tenha sempre uma plaquinha pronta na bolsa e a levante sem pestanejar. Ali estará escrito:

    CUIDE DE SUA VIDAAAAAAA

    Ter filho com a cara da sogra ninguém quer né, mas todo mundo q engravida corre esse risco!

    Adotar ou gerar não vai faer diferença para quem quiser resalmente ter filhos.

    beijoooo

    ResponderExcluir
  7. Já fui parada em um supermercado,por uma conhecida da minha mãe,e ouvi que eu era digna de pena,pois criava filho dos outros porque não conseguia fazer os meus.Peguei minha filha no colo,doida de raiva,pronta pra brigar,quando olhei pra minha filha e ela estava com um sorriso enorme no rosto,na hora vi que digna de dó era essa mulher que não deve saber oque é amar de verdade!
    Hoje minha filha tem 7 anos (ela tinha 1 na época) e me sinto muito segura quanto a minha maternidade...somos felizes...isso sim importa..o resto é só o resto!

    ResponderExcluir
  8. Clau minha querida, sobre comentários idiotas em relação a tentar ter filhos possuo um balaio cheio.
    Quando tentava engravidar de meu filho, (uma luta que durou 06 anos), ouvi todas as idiotices possíveis do mundo.
    Algumas pérolas guardo comigo até hoje.
    Uma que nunca esqueço veio de um médico, cliente de minha empresa na época.
    "É só tu adotar uma criança que tu fica grávida na hora."
    Pensei, minha nossa, adoção agora é remédio pra infertilidade e meu médico nunca me falou nada.
    Pensei muito em adotar um bebê, mas as coisas foram simplesmente acontecendo, queria mesmo depois de ter meus dois filhos biológicos,mas a vida vai dando aquelas voltas e nem tudo sai como gostaríamos.
    Sou totalmente a favor da adoção, mas comentários idiotas vem em qualquer hora. Quando já estava grávida, por meu filho ser o primeiro bebe de proveta do RS, houve uma divulgação e era impossível as pessoas não saberem. Um dia eu estava no mercado, carregando orgulhosamente um certo barrigão e chega uma conhecida para falar comigo,e na maior cara de pau me pergunta.
    "Iara, tu não tem medo que essa criança seja anormal, doente, aleijada ou algo assim, pela maneira como foi feita?"
    Menina que vontade de saltar no pescoço da tipa e estrangular ela. Mas com o tempo aprendi a me defender e defender meu filho.
    Depois dele nascido, quando eu passeava com ele pela rua, sentia que as pessoas olhavam como se procurassem nele algo diferente.
    Uma vez uma mulher me perguntou.
    "Ele é normalzinho é?"
    E eu.
    -Não, na verdade ele tem duas antenas, mas no momento estão escondidas embaixo da touca.
    Vão cuida da sua vida e deixem a dos outros em paz, é o que aprendo com isso tudo.Gente burra, sem cultura, que olham o mundo somente através do próprio umbigo, melhor é dar as costas e deixá-los falando sozinhos mesmo.
    Para mim a diferença de um filho biológico de um filho adotivo, é o tempo de gestação.
    O filho biológico carregamos no ventre por nove meses.
    O filho adotivo carregamos no coração às vezes por anos até te-los em nossos braços. É isso e mais nada.
    Opiniões contrárias são de pessoas pobres de coração.
    Continuo torcendo por ti.
    Beijos lindona

    ResponderExcluir
  9. Clau, "pitaco" é um "defeito de fábrica" do ser humano!!! kkkkkk
    É como eu sempre digo: amor é a base de tudo! E num caminho que começa com o amor de querer adotar uma criança, já está começando bem... Apoiado!
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  10. Tenho gosto mto de seus posts sobre adoção, pois assim vai ajudando mta gente a criar coragem e mostra que adoção não esse bicho de 7 cabeças que a mídia costuma mostrar. Como vc disse, graças a Deus que essa mentalidade de maus presságios fica com a minoria, pois o que vemos nos noticiários são barbaridades praticadas por filhos naturais.
    Clau, fico aqui sempre na torcida p/ que seu sonho se torne realidade e vc se mostrou um espírito evoluído com relação a Lorena, lindo da sua parte, que Deus ilumine seu caminho sempre.
    Bjs♥

    ResponderExcluir
  11. Clau eu sou filha adotiva. Agradeço aos meus pais por terem me criado, assim me deram a chance de ser alguem e não viver para sempre em um lar de crianças ou até mesmo na rua. Adoção é a coisa mais linda que alguem pode fazer por outro.
    beijos achocolatados

    ResponderExcluir
  12. Incrível como as pessoas tem sempre uma solução mágica ou um conselho quando A GENTE NÃO PEDE. Agora, vai pedir uma ajuda, uma força, uma opinião...TODOS FOGEM! É minha amiga! Concordo com a Fer...vamos carregar plaquinhas na bolsa: "IOKIKO??? E o que eu tenho com isso ou E o que você tem com isso???" kkkkk

    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Se não tivesse filhas teria adotado com toda certeza. Acho um ato muito bonito.
    Uma ótima semana. Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi Clau!
    Postagem coerente e sincera.
    Gostei mto.
    É sempre assim mesmo,gente pessimista,adora sugar energias,e é uma grande perda de tempo,dar ouvidos a elas.
    Tenho 3 primos,que são frutos de adoção e são seres humanos fora do comum.Amo-os de paixão.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Oi Clau...condordo plenamente com o seu post. Eu tenho o sonho de adotar um filho no futuro e após compartilhar isso com algumas pessoas já escutei coisas horríveis bem similares as que vc compartilha aqui. É engraçado como só os filhos adotados podem ter doenças, se revoltar e etc...Isso não mudou o meu sonho. Acho que temos q ter misericórdia das pessoas que pensam dessa aneira, elas são umas coitadas que não entendem que podemos sim, salvar a vida de uma pessoa, que talvez se não fosse por nós teria uma vida marginalizada! Eu continuo como meu sonho apesar dos comentários...

    ResponderExcluir
  16. Oi frô.
    Adoção é algo que me acompanha desde criança. Minha mãe adotou, meu irmão também e eu pretendo, daqui há um tempo.
    Mas sabe o que é mais louco? Ninguém que olha pro meu sobrinho acha que seja adotado, todo mundo diz que é a cara do meu irmão, e na real? Nem parece tanto! rs
    Meu irmão caçula é muito mais parecido comigo do que meu irmão de sangue. Então não dá pra ouvir e levar a sério certos comentários.
    Quando a gente quer ser mãe, quer d e coração, aí não importa se a gestação é na sua barriga ou no seu coração.

    Xêros
    Paty

    PS: Acabei de ver seu e-mail, vou te responder daqui a pouco! rs

    ResponderExcluir
  17. Oi, Clau! Vim retribuir a visita e agradecer o carinho! E como que por coincidência me deparo com esse tema, bem na semana em que eu e meu marido iniciamos o processo! Não por não poder ter filhos, pois ainda não temos nenhum, mas pra poder compartilhar uma amor que temos no nosso coração, só esperando alguém que precise receber!
    Um ótimo final de semana!
    Bjs,
    Silvia
    http://athenaartes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi Clau, adorei!!!!! Li o post e alguns comentários. Só quem vive esse amor que é a adoçāo sabe o que sentimos.
    Beijo e tudo de bom!!!!!!

    ResponderExcluir

Use esse espaço para dizer o que pensa. Gentileza é sempre bem vinda.



Últimos tweets