Um amor especial

no dia 6 de setembro de 2014

Imagem ilustrativa daqui

Em outubro de 2013, visitando com meu marido e as Fadas Madrinhas um abrigo, ouvi dele um comentário: "Olha, esse bebê é amiguinho do Augusto!". Ele se referia ao menininho deitado no berço, ao lado de duas outras crianças. Augusto é o nosso sobrinho amado e tem Síndrome de Down. 

Assim eu conheci o Gustavo: corpinho frágil, abaixo do peso para seu um ano e meio de vida. Não se sentava, só ficava deitadinho e tinha cor pálida. Mas tinha brilhantes olhos azuis e sorriso encantador e mesmo doentinho distribuía simpatia e receptividade para os visitantes. Eu nem sonhava, mas estava começando a ser testemunha de uma linda história de amor. 

Paralelo a isto, recebi uma mensagem vinda de uma ex colega de trabalho, me apresentando Carolina, amiga dela que estava entrando na fila de adoção e queria conversar, dividir experiências, como muitas que estão nesta situação. Entre conversas espaçadas, afinidade e alguma desesperança, eu disse: "Peça uma autorização no Fórum e vá ao abrigo. Quem sabe não sente afinidade com alguma criança que está fora do perfil que você pretende adotar, mas que te encante e esteja disponível para adoção ou com processo em andamento?"

Carolina fez seus contatos e passados uns dias me avisou: "Fomos ao abrigo e nos encantamos pelo Gustavo."  Eu fiquei ao mesmo tempo feliz e surpresa, pois ela nunca tinha me dito que tinhas planos de adotar uma criança com Síndrome de Down. Claro, dei a maior força, pois sabia que um bebê nas condições dele não tinha muitos candidatos a pais e depois, não se pode desprezar uma afinidade à primeira vista.

Passado algum tempo visitei de novo o abrigo e encontrei Gustavo bem debilitado. Fiquei preocupada. Liguei no Fórum para a Assistente Social para pedir informações. Fiquei sabendo que ele precisava de uma cirurgia no coraçãozinho e que por conta deste problema tinha estado internado, por isto estava debilitado. Incrivelmente seu sorriso continuava o mesmo. Apesar da idade, pegá-lo no colo dava a sensação de estar pegando um bebê de poucos meses, pois não tinha muitos movimentos e estava abaixo do peso. Mas o azul dos olhos dele trazia esperança... 

Encorajei Carolina a buscar informações sobre o processo dele, se ele iria para adoção e se ela poderia levá-lo para passar um fim de semana com ela. Por infelicidade, quando ela foi ao abrigo cheia de inseguranças, foi recebida por uma profissional despreparada, que mesmo sem ter informações processuais disse, em outras palavras, as duas coisas que ela não queria ouvir: a - Gustavo tem mãe. b - Gustavo não tem chances de viver. Carolina e o marido desabaram.

Não sei precisar datas, mas o casal viajou para tentar espairecer. Recebi então um recado vindo do Fórum: Gustavo está em estado gravíssimo na UTI. Acho que nunca chorei tanto por uma criança que conheci no abrigo, chorei por ele estar com risco de morte, chorei principalmente por ele não ter um calorzinho de mãe, e por talvez morrer sem nunca ter sabido o que era amor de mãe. Esse pensamento era recorrente na minha cabeça. Eu ligava todo dia, duas, três vezes, para saber como ele estava. Resolvi avisar Carolina, mesmo achando que poderia estar sendo inconveniente. Ela ficou agradecida e isto ajudou para que ela e o marido rezassem pela saúde do Gustavo. 

Dias se passaram e Gustavo na UTI, sem perspectiva, entubado, sem amor de mãe perto, mas contando diariamente com o amor de muitas tias adotivas que torciam e rezavam muito por ele e mesmo sem saber ele já tinha amor do do casal também. Surpreendendo a todos, ele passou de estado gravíssimo para uma leve melhora e na sequência melhorou mais, deixou a UTI e foi para o quarto. Um dia à tarde recebi um telefonema de uma monitora do abrigo. Fiquei gelada, achando que era notícia ruim, pois elas nunca me ligavam, só eu ligava. Mas fiquei super feliz: Gustavo tinha deixado o hospital e estava indo para casa, no caso, o abrigo. Nessa hora tive duas certezas: Que orações com fé tem poder e que Gustavo não tinha sobrevivido em vão, ele tinha que ter uma história boa pela frente.

Carolina e o marido resolveram lutar pelo Gustavo, e ajudados por profissionais diferentes daquela que os atendeu no primeiro dia, conseguiram que ele fosse passar um fim de semana com eles. Apesar do tumulto inicial, pois o futuro filho passou mal, teve que ser internado e apesar de tudo parecer muito difícil, até os familiares mais resistentes à ideia de uma adoção especial na vida de Carolina e o marido ficaram tristes quando Gustavo voltou para o abrigo na segunda feira. Pronto, era um caminho sem volta! Já existia um pai, uma mãe e um filho. E claro: avós, tios, primos e tudo mais que Gustavo tinha perdido pelo caminho ele tinha encontrado naquele fim de semana. 

O casal conseguiu ficar com guarda provisória de Gustavo, e a "lua de mel" com o filho foi acompanhar a cirurgia no coraçãozinho que ele tanto precisava desde o nascimento. Mas o remédio principal, aquele que cura mesmo, Gustavo já tinha: o amor do pai e da mãe, que tinham tudo para esperar uma criança que não precisasse de hospitais, mas o escolheram, incondicionalmente. 

Pronto, nossa história que estava só no começo já era feliz e bem sucedida. 

Nunca mais vi o Gustavo, e acreditem, nunca conheci a mãe dele pessoalmente, só por telefone e mensagens, mas nem foi preciso, pois já me sinto mais próxima dela do que de algumas pessoas que convivo diariamente. É como se eu a conhecesse há anos. Mas vamos nos encontrar ainda e derramar litros de lágrimas de emoção, com certeza. Um dia conheci o papai todo coruja por acaso, na rua. Recebo notícias do Gustavo quase semanalmente, através da mãe. Esses dias ela o flagrou de pé no berço e de acordo com fontes seguras, ele está cada vez mais arteiro. 

As fotos que ela me manda pouco lembram aquele menino miúdo que conheci no abrigo, ele está forte, crescido, ganhou cor saudável, mas o sorriso lindo continua o mesmo, a diferença é que, em dois anos de vida, depois de tantas aventuras e internações agora ele está em casa, junto aos seus. E naquela casa já teve Dia das Mães e Dia dos Pais em 2014.

Obrigada, Carolina, por me deixar compartilhar sua história de adoção especial, que acompanhei tão detalhadamente e torci tanto para dar certo. Vocês são um casal privilegiado por terem sido escolhidos por Deus para receber o Gustavo.

Leitores, troquei os nomes para preservar a identidade da família, pois o processo corre em segredo de justiça, bem como também não posso divulgar fotos deles. A foto acima é só ilustrativa.

Este post faz parte da blogagem coletiva "Espalhe Amor no Seu Blog", tema proposto pela Elaine Gaspareto em seu blog, bem aqui. Quando recebi o convite da Elaine, não pensei em história mais linda. Espero que vocês gostem. 




Divitae















35 comentários:

  1. Clau:
    Não gostei, AMEI!!!
    Essa história verídica ultrapassa o amor de sangue e demonstra que quando há AMOR sincero e verdadeiro, ele é capaz de fazer milagres na vida das pessoas.
    PARABÉNS á todos os envolvidos nessa maravilhosa história de amor.
    Bjs.:
    Sil
    http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Histórias assim emocionam e nos tocam! Que coisa linda e tão bom poder acompanhar! bjs, tudo de bom sempre! chica

    ResponderExcluir
  3. Ai Clau!!! chorei de emoção com sua história, nossa acredito poder da oração e creio que Deus põe anjos na nossa vida para nos ajudar na hora que precisamos e vc foi esse anjo na vida do Gustavo e dos país dele. Que Deus lhe abençoe sempre...Bjuss

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso. Fiquei com os olhos cheios de lágrimas. Muito obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir
  5. Clau,
    Que hisória mais linda essa que contou aqui. Por isso que amo visitar seu blog, sempre cheio de amor espalhado por tudo que é canto. Que Deus abençoe sempre esse casal e criança. Muito linda a historia deles e obrigada por compartilhar conosco.
    Beijos
    adriana

    ResponderExcluir
  6. Menina, me debulhei aqui. Que história mais linda, emocionante. Que dá a certeza de que há amor neste mundo, de que há tudo aquilo que a gente acredita e espera das pessoas, que há chances de isso se multiplicar. Lindo, demais. E obrigada por compartilhar!!!!

    ResponderExcluir
  7. Estou aqui em prantos. Esta história como tantas outras mexe muito comigo. Irei me candidatar assim que eu e o marido estivermos morando no mesmo estado. Separados pelo trabalho. Já pedi afastamento e sonho para a minha vida uma continuidade e final feliz como o das mães do coração que são tão guerreiras quanto todas as outras. Tenho certeza de que o Gustavo é feliz e mais ainda, espalha a felicidade. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Claudienne ! Amei a estoria. Renovou minhas esperança no amor incondicional. Tenho um parceiro de dança de festa de fim de ano na empresa. Ele adora dançar, participar dos concursos de fantasias e se o Papai Noel precisar de um ajudante para distribuir os presentes ele tah sempre disposto.O cara eh o Gustavo. Um garoto de 15 anos muito ativo, que vai a escola, vai o cinema, passeio na praia com os pais e parece que tah rolando um namoro. E quase esqueci de dizer, ele tem Sindrome de Dowm. Os pais sempre os estimularam a ser independente. Querem que ele voe. Por amor !

    ResponderExcluir
  9. Lindíssimo!
    O Gú tem a nós agora também torcendo por ele e por sua família.
    Nos conte sempre que possível sobre eles.
    Mil beijos.

    ResponderExcluir
  10. Maravilhosa história!! Ameiii!! Beijinhos
    Sheila
    http://vidasuculenta.blogspot.ie/

    ResponderExcluir
  11. Chorei, chorei e chorei. Não de tristeza, porque é uma linda história com um final que será, ainda, muito mais feliz. Chorei de emoção, por saber que no mundo existe ainda tanto amor!
    Parabéns, Clau, por nos trazer uma história tão linda!
    Parabéns aos papais do garotinho e parabéns a ele, que é um vencedor!
    Bjks. Neli _ Iaia Arteira

    ResponderExcluir
  12. História linda.

    Amor de outras vidas!

    Eles se merecem, eles se completam. Eles se encontraram.

    Obrigada por compartilhar.

    beijo

    ResponderExcluir
  13. Lindo ato de coragem e amor. Meu coração sorri ao saber que o amor sempre vence! Bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi Claudiene!

    Nem dá pra falar muito...a não ser para dizer que essa estória é linda e me emocionou muito!
    Ah! e que bom que todos estão felizes!

    beijos, Renata
    palpitandoemtudo

    ResponderExcluir
  15. Olá, querida Clau
    Uma partilha muito condizente com o tema... muito abastecida de amor... Deixei-a pro fim pois sabia que iria me emocionar... lindo testemunho!!!
    Me lembrei de gêmeos que encontrei num barraco com mãe embriagada noutro Estado onde morei e fazia um trabalho social... eles foram adotados após meu conhecimento da situação e vivem felizes com a sua nova família há mais 15 anos...
    Lindo depoimento!!!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  16. Nossa que história linda, me emocionei. Eu espero que Gustavo possa ficar definitivamente com seus papais de amor. Tudo de bom pra essa família, que mesmo não conhecendo dá pra saber o tamanho do real amor. beijos

    ResponderExcluir
  17. Uma linda história de amor, um amor especial!
    Abraço!
    Sonia

    ResponderExcluir
  18. Impossível não chorar ao ler, Claudiene.Os 3 são privilegiados: os pais e o menininho. Deus os abençoe sempre.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Histórias de amor com final feliz sempre encanta e nos leva a refletir de que somos capazes de amar sem medidas, proporcionando ao outro boas energias , a que cura, e engrandece o nosso coração. O amor é generoso e destemido, basta querer ajudar. Grande sorte a família escolhida por Deus para vivenciar parte da história de suas vidas.
    Clau, abraços e grande a sua participação no blog amigo da Elaine.

    ResponderExcluir
  20. Uau! Tô arrepiada aqui....que história!!!

    Completamente apropriada ao tema!

    Bonito!

    ResponderExcluir
  21. Oi Clau, publiquei meu post para também participar da blogagem coletiva e agora vim ler os posts dos participantes e o seu é o primeiro.

    Que história linda, de encher o coração de amor e os olhos de lágrimas.

    Que benção para o "Gustavo" e para você terem seus caminhos cruzados e que benção para esta família que o adotou.

    p.s. Se tiver um tempinho, leia meu post no Luka Luluka. Sem citar nomes, eu falo de pessoas como você.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  22. Obrigada por compartilhar essa história linda.
    Beijosss!!
    http://www.sejafelizhoje.com.br

    ResponderExcluir
  23. Oi, Clau!
    Papai do céu existe mesmo e para cada criança existe um pai e uma mãe que entregam seus corações incondicionalmente ao amor. Obrigada por compartilhar! São histórias como essa que renova a minha esperança na humanidade.
    Beijus,

    ResponderExcluir
  24. Uma lindíssima história de amor com um final feliz!
    Me emocionei, Clau
    Deixo um forte abraço para você
    Com carinho de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  25. Clau que história linda
    e fico muito feliz por ser verdadeira
    não apenas uma história mas realidade
    feliz pelo Gustavo ter um amor de pai e mãe, pela vida dele e pela sua,
    meus parabéns

    Linda Noite
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
  26. Faço coro com a Claudia Pinto: amor de outras vidas!! Pessoas que se encontram, que já se amam há muito tempo.

    Muito linda a história e tb o seu blog, adorei conhecer, vindo diretamente do mosaico da Elaine.

    beijosss

    ResponderExcluir
  27. linda história, o amor verdadeiro opera milagres e pessoas capazes de amar assim são agraciadas, beijos
    Carlah Ventura - Intensa Vida

    ResponderExcluir
  28. Clau,
    Eu havia lido o seu post no dia em que foi publicado, mas chorei tanto que nem dei conta de comentar.
    Muito lindo, muito comovente e sobretudo, um sopro de esperança.
    Porque muitas vezes, na vida, a gente não entende o motivo das coisas acontecerem e serem como são, mas quando a gente vê casos assim parece mesmo que tudo estava desenhado.
    Muito obrigada por compartilhar!
    beijossss

    ResponderExcluir
  29. Emocionante a sua história, tb participei dessa blogagem nesse sábado 13.
    já votou no blog Lulu on the sky?
    Big beijos
    Lulu

    ResponderExcluir
  30. Muito bacana sua história! Bom ter final feliz!

    Beijo,

    Thalita Cunha
    www.thalitacunha.com

    ResponderExcluir
  31. Linda história de amor!
    Tirei um tempinho para visitar as participantes da blogagem coletiva da Elaine - e que bom que encontrei seu blog!
    Venha conhecer o meu, qualquer hora!
    bjoca!

    ResponderExcluir
  32. Oi clau,

    Tem como não se emocionar...
    Como se diz "Ninguém cruza o nosso caminho por acaso, tudo tem um propósito"

    Beijos!

    ResponderExcluir
  33. Clauuuu...

    Coisa mais linda de se ler!!!

    Bjs... s2

    ResponderExcluir
  34. Como não se emocionar... bjsss

    ResponderExcluir

Use esse espaço para dizer o que pensa. Gentileza é sempre bem vinda.



Últimos tweets